Injeção Anticoncepcional

A revolução das pílulas anticoncepcionais não parou, e depois de muita pesquisa surgiu a injeção anticoncepcional, que tem o mesmo objetivo só que com diferenças que se encaixam mais ainda na vida contemporânea das mulheres.

E de cara, a principal diferença está na periodicidade do tratamento, sai a obrigatoriedade do dia-a-dia e entra as aplicações mensais e trimestrais.

Sendo que em ambos os casos a própria menstruação pode ser interrompida, a única diferença é o componente, a primeira contendo estrogênio e Progesterona e a segunda apenas o último hormônio.

Injeção Anticoncepcional

Além de ter a vantagem de não poder ser esquecida e ter o tratamento interrompido, ela, assim como a pílula, ajuda a mulher que ainda podem ter problemas com cólicas menstruais. Isso sem esquecer que esse tipo de tratamento pode ser usado por qualquer mulher.

A única contra indicação é em relação a mulheres com mais de 35 anos fumantes e portadoras de algum tipo de câncer, já que o medicamento pode acelerar a evolução da doença.

Já em termos práticos, a injeção anticoncepcional tem o mesmo efeito da pílula, só que com a diferença que, ao invés de um tratamento diário, o medicamento vai sendo absorvido pouco a pouco pela corrente sanguínea, tanto as mensais quanto as trimestrais.

E isso para ter o mesmo efeito, evitando que o útero se prepare para a gravidez, além de, em alguns casos até impedir o espermatozoide de sobreviver após a entrada no organismo.

Mas tudo isso precisa ser feito apenas diante de dois cuidados, o primeiro é que sempre seja procurado o ginecologista, tentando entender qual o melhor para cada mulher e ainda a responsabilidade de tomar a injeção no primeiro dia de menstruarão sempre que for começar o tratamento.

Um dos grandes problemas da pílula, sem sombra de dúvida, não passa nem perto de sua eficácia, mas sim do resultado de uma vida moderna e corrida, já que não existe mulher que não tenha esquecido de tomar o comprimido, único jeito, real, que torna o anticoncepcional inoperante.

E é exatamente para essas mulheres que surgiu a injeção anticoncepcional, que podem ser tomadas mensal ou trimestralmente.

Uma vantagem que ainda ajuda àquelas mulheres que precisam esconder o uso da pílula ou que, simplesmente, não conseguem tomar os comprimidos via oral.

Qual é a Diferença entre a Injeção Anticoncepcional e a Pílula

A diferença entre a pílula e injeção fica então apenas no modo como o tratamento é ministrado, já que as duas contêm os mesmo elementos e só se diferem pela segunda ter uma absorção mais lenta e que impede a gravidez pelo tempo em que o hormônio sobrevive no organismo.

A mulher então, junto com seu médico, deve escolher a injeção mensal ou a trimestral, de acordo com suas necessidades.

Mas há uma contrapartida, já que o tratamento (no caso dos três meses) impede a menstruação, o que pode incomodar algumas mulheres.

Além disso, a injeção, talvez pela absorção mais lenta, provoca também um pequeno ganho de peso, semelhante à pílula.

Quais os tipos de Injeções Anticoncepcionais ?

No Brasil e na América Latina, a campeã de vendas e preferência é a Perlutan, no mercado há 20 anos, enquanto no resto do mundo, grandes laboratórios farmacêuticos apostam nas Depo Provera e Noristerat, todas três com opções de um ou três meses.

Injecão Anticoncepcional é opção segura ?

A revolução das pílulas anticoncepcionais não parou, e depois de muita pesquisa surgiu a injeção anticoncepcional, que tem o mesmo objetivo só que com diferenças que se encaixam mais ainda na vida contemporânea das mulheres.

E de cara, a principal diferença está na periodicidade do tratamento, sai a obrigatoriedade do dia-a- dia e entra as aplicações mensais e trimestrais.

Sendo que em ambos os casos a própria menstruação pode ser interrompida, a única diferença é o componente, a primeira contendo estrogênio e Progesterona e a segunda apenas o último hormônio.

Além de ter a vantagem de não poder ser esquecida e ter o tratamento interrompido, ela, assim como a pílula, ajuda a mulher que ainda podem ter problemas com cólicas menstruais.

Isso sem esquecer que esse tipo de tratamento pode ser usado por qualquer mulher. A única contra indicação é em relação a mulheres com mais de 35 anos fumantes e portadoras de algum tipo de câncer, já que o medicamento pode acelerar a evolução da doença.

Já em termos práticos, a injeção anticoncepcional tem o mesmo efeito da pílula, só que com a diferença que, ao invés de um tratamento diário, o medicamento vai sendo absorvido pouco a pouco pela corrente sanguínea, tanto as mensais quanto as trimestrais.

E isso para ter o mesmo efeito, evitando que o útero se prepare para a gravidez, além de, em alguns casos até impedir o espermatozoide de sobreviver após a entrada no organismo.

Mas tudo isso precisa ser feito apenas diante de dois cuidados, o primeiro é que sempre seja procurado o ginecologista, tentando entender qual o melhor para cada mulher e ainda a responsabilidade de tomar a injeção no primeiro dia de menstruarão sempre que for começar o tratamento.

One thought on “Injeção Anticoncepcional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *